Lixo orgânico e reciclável: qual a diferença?

A produção desenfreada de lixo no mundo é cada vez maior e, infelizmente, o processo de separação não acompanha este ritmo. No Brasil, o número de cidades que fazem a coleta seletiva do lixo reciclado ainda é muito pequeno, mas isso não significa que devemos deixar de separar o nosso lixo em casa contribuindo para o meio ambiente e as gerações futuras.

No processo de separação do lixo, ocorre a classificação do tipo de lixo a fim de saber de forma bem definida como ele será descartado posteriormente. Os dois tipos mais comuns de classificação do lixo caseiro são o orgânico e o lixo reciclável, apresentando diferenças e tipos de destinações distintos, sendo necessário estar atento a essas distinções a fim de lidar da melhor forma possível com o descarte desses materiais.

O lixo orgânico é considerado aquele que sobra de restos de alimentos e resíduos gerados naturalmente por seres vivos, já os demais lixos são os recicláveis, sendo eles os materiais plásticos, de vidro, alumínio, papelão, entre outros.

Sabemos que grande parte do lixo acaba sendo descartado de maneira errada e vai parar nos rios e mares, o que também provoca o entupimento de bueiros da rede pluvial nas cidades. E para resolver os problemas de entupimento na sua casa, chame uma empresa desentupidora.

Vamos agora conhecer um pouco mais sobre cada tipo de lixo, entender as diferenças que apresentam e conhecer a melhor forma de descarte para cada categoria.

O lixo orgânico

O lixo orgânico é aquele resultante dos restos de seres vivos, animais e vegetais, produzido de forma a apresentar um consumo único e com processo de decomposição bem mais rápido e facilitado que o lixo reciclável, também conhecido como inorgânico. Podem ser considerados como lixo orgânico os restos de alimentos, cascas de frutas e vegetais, papéis usados, sacos de café e chá, cascas de ovos e sementes, entre outros. Existem alguns tipos de lixo orgânico que podem ser reutilizados em um processo conhecido como compostagem, que transforma os restos de alimentos e cascas de frutas e vegetais em adubo para plantações, com alto teor de fortificação.

É preciso tomar cuidado com o descarte correto do lixo orgânico, pois ele atrai muitos insetos, como moscas, baratas e até ratos.

O lixo reciclável

O lixo reciclável é composto por materiais que podem ser reutilizados, sendo considerado como aquele que não perde a sua integridade com facilidade, ou seja, tem o processo de decomposição bem mais demorado que o lixo orgânico e para ser reutilizado em grandes quantidades precisa de intervenção de processos elaborados em fábricas ou cooperativas, como a conhecida reciclagem. Esses materiais podem ser o papelão, vidro, plástico, metais e alumínio, produzidos pelo homem através da coleta de matérias primas e que dão origem a outros produtos de grande valia no dia a dia.

O lixo reciclável demanda bastante energia para ser fabricado, sendo conhecidos como inorgânicos e apresentando a possibilidade de reciclagem em sua grande maioria mas, infelizmente, não é isso o que acontece. Por exemplo, uma caixa de papel usado pode ser enviado para um centro que trabalhe com o processo de reciclagem e depois de submetido a técnicas e atividades especiais sair nova e limpa novamente, pronta para ser usada mais uma vez. O mesmo acontece com os demais materiais como o vidro, plástico, alumínio e metal.

lixeiras para a separaçao de lixo

Principais diferenças

As principais diferenças que podem ser notadas entre o lixo orgânico e reciclável é que, enquanto o reciclável tem um processo de reutilização definido e apresenta maior tempo para decomposição na natureza, o orgânico tem um tempo mais curto de decomposição e menor definição de reutilização, com apenas a opção de compostagem ou o descarte para que alguns animais, como porcos, por exemplo, possam se alimentar dos restos de comidas, cascas de frutas e vegetais, entre outros.

Para conservar a sua casa limpa, contrate frequentemente uma empresa limpa fossa para fazer a limpeza e manutenção das tubulações de esgoto.

Necessidade da coleta seletiva

A coleta seletiva é o processo que separa devidamente cada tipo de lixo, geralmente feito através de cooperativas. É muito importante que você faça em sua casa a separação prévia do lixo que pode ser reciclado levando em consideração as subdivisões como papel, vidro, metal, plástico e alumínio. No entanto, se isso não for possível, você pode separar o seu lixo caseiro em apenas dois grandes grupos, um para o lixo orgânico e outro para o lixo reciclável/inorgânico.

A coleta seletiva é bastante necessária nas cidades para que os dois grupos de lixo recebam o descarte adequado mas, maior do que a preocupação em separar o lixo, deve ser a consciência que devemos ter em mente quanto ao consumo desordenado que estamos vivenciando no mundo quando, na verdade, precisamos aprender a viver causando menos impacto para o meio ambiente pensando nas gerações futuras.